quarta-feira, 17 de novembro de 2010

EU LEVO OU DEIXO???...



- Diz a lenda que Rui Barbosa, ao chegar em casa, ouviu
um barulho estranho vindo do seu quintal.
Foi averiguar e constatou haver um ladrão tentando levar
seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e,
surpreendendo-o ao tentar pular o muro com seus patos, disse-lhe:

- Oh, bucéfalo anácrono!!!...Não o interpelo pelo valor intrínseco dos
bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro de profanares o
recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa.
Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se é para zombares da minha
elevada prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala
fosfórica, bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te
reduzirei à quinquagésima potência que o vulgo denomina nada.

E o ladrão, todo confuso:
- Dotô, resumino...eu levo ou dêxo os pato???...

Um comentário:

Poemas e Amizades disse...

Cecília, bom dia!
Muito interessante esse trecho pitoresco da vida de Rui Barbosa, que era um homem extraordinário, muito amado e igualmente odiado em nosso país, especialmente pelas posições religiosas que tomou.
Essa anedota que fizeram dele passou para a História para nos mostrar seu enorme conhecimento linguístico.
Particularmente, estou entre os que o admiram, e utilizei muito um seu trabalho num livro que escrevi.
Delicioso texto.
Um abraço carinhoso
Lello